terça-feira, 31 de julho de 2012

Esperando aviões



Meus olhos te viram triste
Olhando pro infinito
Tentando ouvir o som do próprio grito
E o louco que ainda me resta
Só quis te levar pra festa
Você me amou de um jeito tão aflito
Que eu queria poder te dizer cem palavras
Eu queria poder te cantar cem canções
Eu queria viver morrendo em sua teia
Seu sangue correndo em minha veia
Seu cheiro morando em meus pulmões
Cada dia que passo sem sua presença
Sou um presidiário cumprindo sentença
Sou um velho diário perdido na areia
Esperando que você me leia
Sou pista vazia esperando aviões
Sou o lamento no canto da sereia
Esperando o naufrágio das embarcações

domingo, 1 de julho de 2012


  • Deus, poe Teu olho amorosa sobre todos que já tiveram um amor sem nojo, nem medo e de alguma forma insana esperam a volta dele : que os telefones toquem, que as cartas finalmente cheguem ....